Liderança transformacional não é o que você pensa

liderança transformacional

Por Scott Gregory, CEO da Hogan Assessments

A ideia de liderança transformacional soa bem quando tomada pelo valor nominal. Um líder transformacional é alguém que incute orgulho, respeito e confiança em seus seguidores.

Ele inspira e motiva as pessoas acima das expectativas, estimulando a inovação e a mudança. E, se você procurar por “transformação” no dicionário, verá que ela é definida como “uma mudança completa ou dramática na forma ou na aparência”. Então, qual organização não gostaria de introduzir alguma forma de liderança transformacional para responder às perturbações causadas pela atual revolução digital?

Embora a liderança transformacional pareça uma boa ideia em teoria, nada mais é do que uma liderança carismática com um nome diferente e mais atraente. Um estudo recente publicado pelo Journal of Personality and Social Psychology mostra que há muito para se criticar em uma liderança carismática. De fato, há pouca evidência para mostrar que existe uma forte correlação entre carisma e liderança efetiva. Então, como a liderança carismática e a liderança transformacional são essencialmente a mesma coisa, é importante entender como esse estilo de liderança tem sido amplamente adotado em todo o mundo.

De acordo com outro estudo publicado pela Academy of Management, “há um consenso amplamente compartilhado de que a liderança carismático-transformacional é uma forma particularmente eficaz de liderança”. No entanto, existem algumas questões importantes com essa suposição, dado que esse estilo de liderança é fundamentalmente falho. Deveria haver uma mudança para uma nova forma de liderança, mais empiricamente definida, em que os líderes são nomeados com base na capacidade e habilidade em oposição ao carisma.

O problema da definição da liderança

Primeiro, é amplamente assumido que a liderança é definida como “uma pessoa que tem uma liderança ou título gerencial”. O problema com essa definição é que ela não aborda como essa pessoa assumiu a posição de liderança em primeiro lugar. Organizações em todo o mundo são famosas por promover funcionários carismáticos e politicamente experientes em papéis de liderança, porque parecem líderes. Algumas pessoas podem encantar seus superiores a pensar que seriam líderes eficazes. Eles tendem a ser confiantes, criativos, expressivos e charmosos, o que os ajuda a se destacar dos colegas. No entanto, embora a sua personalidade os faça parecer “transformadores”, na realidade eles são, muitas vezes, líderes ineficazes.

Em segundo lugar, existem várias inconsistências quando se trata de medir a eficácia do líder. Em um estudo de 2008 conduzido por Robert B. Kaiser, Robert Hogan e S. Bartholomew Craig, os autores delinearam essas inconsistências. Por exemplo, algumas organizações medem a eficácia da liderança por meio de avaliações de gerentes. Outros medem através de avaliações de subordinados. Alguns são baseados exclusivamente em resultados financeiros. Essa diversidade de metodologia gerou resultados mistos, essencialmente fazendo com que quaisquer conclusões sobre a eficácia do líder sejam inconclusivas. Portanto, muitas vezes não há nenhuma evidência real que conecte a contratação ou a promoção de líderes transformacionais carismáticos com melhores resultados organizacionais.

Terceiro, porque a liderança transformadora-carismática tem sido considerada por muitos como uma forma eficaz de liderança, existe um suposto “medo” entre os pesquisadores de desmascarar esse mito, o que é irônico. Se há evidências que sugerem que esse estilo de liderança é ineficaz, ainda assim ninguém quer ir contra o consenso popular, não chamando esses “especialistas” de transformadores em si mesmos?

Será que é eficaz?

O ponto principal é que a liderança transformadora-carismática é predominante nas organizações em uma escala global, mas há poucas evidências para sugerir que ela é eficaz. Isso nos leva a uma questão crucial que as organizações deveriam estar se perguntando: quão bem-sucedidos poderíamos ser se não assumíssemos que a liderança transformacional-carismática leva à eficácia da liderança?

Esse é um problema complexo com uma solução simples: defina a liderança corretamente e, em seguida, identifique líderes eficazes por meio do uso de avaliações de personalidade válidas.

Você não pode definir liderança como alguém que está em um papel gerencial ou alguém que foi promovido simplesmente porque é inspirador e socialmente confiante. Você tem que definir líder como aquela pessoa que constrói e mantém uma equipe de alto desempenho. Quando as organizações fazem isso, elas têm uma visão completamente diferente do que torna um líder eficaz.

Então, por meio do uso de medidas de avaliação válidas e confiáveis, elas podem identificar melhor quem será bem-sucedido. Uma das características que as organizações precisam procurar nos líderes é a humildade. Líderes eficazes são mais modestos; eles se concentram no desempenho da equipe e estão dispostos a admitir erros, compartilhar créditos e aprender com os outros. Esses são os tipos de líderes que podem inspirar mudanças e inovações verdadeiras e positivas.

Fale Conosco

Endereço: Alameda Rio Negro, 911 sala 707 Barueri – SP – CEP: 06454-000
Telefone: (11) 3022-2583

Copyright 2021 Ateliê RH